11 maio, 2007

Virada Cultural

O post que era ter aberto a semana, vai encerrá-la.

Fim de semana passado teve Virada Cultural em São Paulo. Quem me conhece sabe o quanto sou fã de atividades assim, exposições, mostras. Cultura. Cultura. Cultura. Amo.

Das mais de 300 atrações, distribuídas por todos os lados da cidade, assisti a três (Milágrimas, O Teatro Mágico e Ballet Stagium). Adorei cada uma e queria estar em forma para agüentar ficar mais.

Foram 24 horas de atividades para todos os gostos. Tinha muita gente, 3,5 milhões, de acordo com os jornais. Para qualquer lugar que se fosse, era preciso atravessar uma grande multidão formada por famílias completas, adolescentes em turma, jovens alternativos com seus grupinhos e sozinhos, idosos com suas bengalas. Enfim, muitas pessoas a fim de curtir o que a cidade tem de melhor. Infelizmente, os dispostos a aparecer mais que os artistas também estavam em lá. E é aí que mora o problema...

Um evento que era para ter sido exaltado pela iniciativa, pela diversidade, pela estrutura, foi manchete na mídia como palco de badernas e brigas. Acontece que a Virada foi um espetáculo sim. E dos bons. Notem que eu nem voto em São Paulo e, por isso mesmo, não tenho porque defender nada nem ninguém, além das minhas próprias idéias.

A prefeitura mantém esse projeto há três anos, mandou bem na seleção das atrações, havia banheiros acessíveis a todos, o metrô funcionou 24 horas para evitar trânsito, estabelecimentos comerciais e ambulantes “bombaram” a noite toda. Claro que sempre tem o que precisa ser melhorado, a conduta dos policiais, por exemplo, e o controle da venda de bebidas alcoólicas também. Um litro de vinho era vendido a menos de R$ 5. Agora, para mim, o problema maior está na falta de educação dos cidadãos. O câncer da sociedade, em minha humilde opinião.

Tirando o que estava sobre os palcos, nas ruas as pessoas davam um espetáculo à parte de má de educação. A falta de consciência sobre preservar o que é público é gritante e revoltante. Ninguém faz jus aos impostos que pagam e, pior, jogam o próprio dinheiro no lixo cada vez que pisoteiam jardins, depredam monumentos ou jogam lixo no chão.

Bem, mas nem por isso fiquei com má impressão sobre a Virada. Pelo contrário! Já até bolei uma estratégia de locomoção para a do ano que vem. Tudo o que vi de ruim só reforçou a minha idéia de que enquanto formos uma nação que não investe na educação, não importa o evento, a postura dos cidadãos sempre será vergonhosa.

5 comentários:

ana cartola disse...

Inveja! Cê conseguiu ver o Teatro Mágico! Não consegui chegar nem perto. :-/

Mas foi ótimo! Me diverti demais.
Não tinha ido nas anteriores, mas pretendo ir à proxima.

Ah, eu não baixei as portas, não. Tava tecnicamente impossibilitada de postar. Agora melhorou. :-)

Um beijo

Lisi disse...

Nessas horas que nao gosto de estar aqui tao longe. Conhecendo um monte de gente em SP, ouvi a semana inteira coisas sobre a virada cultural e tenho certeza que gostaria de ter ido em alguma coisa...

Lisi disse...

entrei no site, e vi o que teve.
definitivamente eu queria ter ido.

1worklover disse...

Bem, não pude ter toda a noção do evento, já q tô no Rio. Pena q foi mais noticiada a violenta noite de início do evento q todo o movimento bacana q deve ter gerado...

Carox disse...

Amei a virada.. pena nao termos nos encontrado!