18 fevereiro, 2013

A nossa própria companhia

Eu sou uma pessoa que gosta muito de estar rodeada de pessoas, principalmente daquelas que me fazem bem. Uma coisa que faço desde sempre é juntar os amigos de diferentes grupos e, quando vejo, eles se tornaram amigos também. Do mesmo jeito, sou craque em adotar os amigos dos amigos.

Agora uma coisa que talvez poucos saibam é que eu também adoro ficar sozinha. Mais do que gostar, eu necessito de um tempo só para mim. Pode ser para folhear um livro, para pintar as unhas eu mesma, arrumar o meu armário, escrever no diário, ver um filme despretensiosamente, não importa. O fato é: quando os convívios sociais começam a ficar muito intensos, invariavelmente eu preciso pisar no freio, respirar e me permitir um tempo só para mim, ainda que isso signifique recusar algum convite.

Nunca tive problemas em ir ao cinema, ao museu, a um espetáculo, almoçar ou mesmo conhecer um lugar novo sozinha. Proporciona um prazer diferente do prazer que seria fazer a mesma coisa acompanhada, mas para mim, ficar na minha própria companhia não é o monstro do armário que eu sei que é para muitas pessoas. Para mim, esses momentos são a minha terapia, quando me conheço melhor e consigo ter insights que não teria de outra maneira.

Quando a Paula Abreu, do My better life, publicou o vídeo abaixo, me senti um personagem de desenho animado, porque uma nuvem de coraçõezinhos simplesmente explodiu sobre a minha cabeça. É um vídeo lindo, leve e com uma mensagem mais que verdadeira: alone is okay.

2 comentários:

Por Inteiro disse...

Oi, Ké!! Eu já sou o contrário de você... sempre estive muito bem em minha própria companhia, tanto que às vezes achava que não precisava dos outros. Hoje descobri o prazer de estar bem acompanhada, mas ainda não abro mão destes momentos de solidão gostosa. Alone is super ok!! Pena que nem todos consigam sentir isto! Bjinhos.

Kelli Machado disse...

Pois é, Bel. Acho que a palavra mágica nesse caso é equilíbrio :)