16 dezembro, 2010

Cenas do cotidiano

Por alguma razão que eu desconheço, a iluminação de certas ruas do meu bairro, incluindo a minha, não tem funcionado muito bem nas últimas semanas. Daí vocês não imaginam qual é o maior perigo que há em andar por essas ruas completamente escuras.

Eu conto: pisar em cocô [que aqui eles falam cocó] de cachorro.

As calçadas parecem campo minado. É nojento. Há a tal lei que obriga os donos a recolherem os dejetos dos seus bichos, mas quem fiscaliza? Então o jeito é criar uma profissão, a de moto-coco-boy.

Eu estava com Marido no final da minha rua quando vi um rapaz como o da foto pela primeira vez. Juro: eu paralizei e a única coisa que passava pela minha cabeça era: “que trabalho de M&#d@!”.

Um comentário:

Erica Moreira disse...

kelli,

adorei sua postagem e foto. É tão fácil resolver isso né? Conscientização e educaçao. Veja que nòs brasileiros temos muito dos portugueses. Olha só, eu morei em Trento e ali a fiscalizaçao é dura, além do que os cidadaos cobram-se entre si. Uma vez eu vi uma pessoa que estava passeando com o cachorro, ele fez coco (aqui se chama caca) na frente da loja de uma senhora e em seguida a moça foi embora sem limpar. A dona da loja falou com ela, mas em vao. Chamaram a polícia e a mulher saiu correndo e a polícia atrás. A mulher tomou multa.

Aqui em Milão tb è raro encontrar coco assim, até pq eles tratam os caes melhores do que as pessoas. Lògico que as vezes se encontra uma sujeirinha, mas nao assim....capisci?