13 abril, 2007

Moída e feliz

Ontem foi o show do Aerosmith, o show que eu esperava desde 1997, quando eles anunciaram que voltariam ao Brasil e eu já tinha idade para vê-los. Porque em 1994, quando eles tocaram no Hollywood Rock eu ainda era piveta para essas coisas.

Meu segundo mega-show internacional (O primeiro foi U2) e que show. Se tivesse que resumi-lo em três palavras seriam: PUTA QUE PARIU! Eu fiquei muito emocionada, tanto que nem conseguia fotografar, gravar, nada. Só curtir, pular, gritar. Foi sensacional, do jeitinho que eu esperava há dez anos. Jennie’s got a gun e Dream on ao vivo vão ficar para sempre na memória.

Saudosismos e fanatismos à parte, agora algumas considerações:

O vocalista
O que é a cara do Steven Tyler toda repuxada? Ele nunca foi bonito, é verdade, mas agora parece um macaco albino com máscara anti-rugas.

Efeitos especiais
Colocaram um ventilador no palco de frente para o microfone para criar o efeito “cabelos ao vento”, ou “compatível”, como diz a Lia. Hilário.

O baterista
O Joe Perry mandou muito bem. Nem sou fã de solos, acho que deixam as músicas compridas demais, mas tenho que tirar o chapéu para ele. O cara literalmente se jogou (na bateria!) e foi responsável por muitos pontos altos do show.

Abertura
Pode parecer até contraditório, mas eu não sou uma garota rock and roll. Aerosmith faz parte das paixões que descobri quando adolescente e mantive até hoje, mas Velvet Revolver eu não conhecia uma música sequer. Por mim, o show deles poderia ter durado 15 minutos, super suficiente.

O público
No meio de 62 mil pessoas, tinha gente de todo tipo. Desde adolescentes que mantêm o cabelo igual ao do Slash (o guitarrista da banda de abertura, ex Guns n’ Roses), casais de cabelo branco e, a grande maioria, gente no meio termo, tipo eu e o Namorado, que ainda não joga no time dos tiozões de cabelo branco, mas também não são mais tão jovens assim como os fãs de Velvet.

Saldo final
Pra lá de positivo. Esperaria tudo outra vez e pagaria cada centavo pelo ingresso.

2 comentários:

Daniela disse...

eita nóis hein, mocinha?
que beleza!!!

também já fui fã de aerosmith...

que bom que curtiu o show!!!

beijão

ana cartola disse...

Minha irmã, que também esperava ansiosa há dez anos, foi e amou.

A parte inacreditável da história é que ela me chamou pra ir na faixa, porque o namorado dela comprou o ingresso, mas, na última hora, não pôde ir, e eu TAMBÉM NÃO PUDE! GRRRR

Eu arrepio ouvindo Dream on no rádio (não sei porquê, não me pergunte), imagina ao vivo.

Saco.