28 outubro, 2010

Quando a internet não ajuda

Eu estou fazendo um mestrado em Lisboa, comecei o segundo ano agora em setembro. E tirando as vezes que surge algum trabalho free lancer para fazer, alguma visita para eu ciceronear ou a casa para arrumar, eu estudo, mas ainda assim ando disléxica de um jeito que chego a me sentir mal.

É que na época da faculdade, nos idos entre 1998 e 2002, eu estudava, fazia estágio, fazia inglês duas vezes por semana, pegava pelo menos três horas de trânsito em transportes públicos todos os dias e ainda ia para balada com os amigos, ajudava nas tarefas de casa no fim de semana, lia muito mais e fazia um monte de outras coisas.

Comecei a por a culpa na idade, que realmente faz a gente diminuir um pouco o ritmo, mas depois, pensando melhor, me dei conta de que naquela época ainda não havia a avalanche de redes sociais que existe hoje em dia e que, definitivamente, eu gastava muito menos tempo na frente de um computador do que hoje em dia.

2 comentários:

Carolina disse...

Já tinha pensando no assunto, mas não tinha chegando a essa brilhante conclusão! rs

Francine Figueiredo disse...

vc tem toda razão, eu fico horas na frente do computador todos os dias, mas finais de semana, realmente... tenho que sair de casa, fazer tudo na rua, gosto de me movimentar...
bjs